fbpx
(51) 3247-3030    edisul@edisul.com.br
default-logo

Como construímos o seu lugar no mundo

Um edifício condominial é uma construção promovida com o objetivo de proporcionar espaços destinados à habitação das pessoas e também resguardar atividades humanas diversas. Por apresentar vários andares, com apartamentos e corredores dispostos uns sobre os outros, em uma altura elevada, um prédio exige muitos estudos preliminares e uma estrutura segura. Se você pretende um dia trabalhar com projetos e edificações, ou simplesmente tem curiosidade por esses assuntos, entenda quais são as etapas básicas da construção de uma copropriedade vertical.

Estudos e trabalhos preliminares

Toda edificação começa com a elaboração de seu projeto arquitetônico. E tudo tem início com a verificação do que o cliente, que esteja interessado na obra, pretende alcançar com o prédio. Antes ainda da execução do projeto, é necessário examinar as características do terreno, limpá-lo, nivelar o solo e fazer o levantamento topográfico completo do lote.

Montagem do alicerce

A fim de sustentar o edifício, a primeira parte a ser construída é o alicerce ou fundação, que se trata de uma estrutura de ferro ou de concreto, a qual é assentada sob a terra para que o peso do edifício fique distribuído por uma área maior do solo. Nessa fase, poderão ser usados vários tipos de alicerce, como, por exemplo, a fundação rasa, que é a mais barata e empregada nas superfícies resistentes e menos úmidas, ou os barretes, que são mais onerosos, porque exigem a operação de escavadeiras especiais e são designados às construções que tenham 20 ou mais andares. A escolha de fundações vai depender do tipo de solo, da drenagem do terreno, entre muitos outros aspectos.

Alvenaria

Essa etapa abrange a elevação de paredes, sapatas e outros elementos estruturais que sejam previamente estudados e projetados para suportar cargas verticais, proporcionar vedações e ainda criar isolamentos térmicos e acústicos. São utilizados tijolos, blocos de concreto e outros materiais nesse processo. As estruturas elétrica e hidráulica do prédio, entre outros fatores, não podem ser esquecidas nesta passagem.

Outros elementos estruturais

Para dar cabo da composição básica do prédio, a construção exige ainda a aplicação de forros, coberturas e esquadrias. Os forros são geralmente lâminas de madeira ou lajes pré-fabricadas que são colocadas nas estruturas do telhado ou das partes superiores da edificação, bem como as estruturas de cobertura. Esquadrias de madeira, metal e plástico são as portas, janelas, basculantes e outros itens que dão arremate à uniformidade da construção.

Revestimentos e pormenores estéticos

Acabada a parte estrutural, é chegado o momento de se implementar os acabamentos da edificação, o que implica na instalação de gessos, azulejos, porcelanatos, cerâmicas, carpetes, pisos, laminados, pedras decorativas e outros elementos de apelo estético, os quais sejam do gosto do cliente e atendam a sua demanda. É o momento quando também as superfícies são preparadas para receber vidros e a aplicação de tintas nas paredes, vernizes e pinturas de detalhes.

Depois que a construção está aprontada a este ponto, seus espaços já se encontram prontos para se morar, devendo-se apenas solicitar a ligação da rede elétrica, o bombeamento de água canalizada e outras providências do tipo. Se a documentação estiver em ordem, o condomínio já poderá comercializar os apartamentos para os futuros coproprietários.

Sobre o autor

Deixe seu comentário

*